Tecnologia e Militarismo – Por que uma não vive sem a outra

É incrível que os avanços tecnológicos que tanto beneficiam nossa sociedade e tornam nossas vidas mais fáceis provêm geralmente de pesquisas militares.

Vejam bem: a missão das Forças Armadas na resolução de conflitos muito fortes é algo realmente nobre – a pessoa está ali, pronta a perder a sua vida, em prol daqueles que ama, a fim de garantir a paz! O triste é saber que há tais conflitos e, por isso, precisamos de toda essa “segurança”.

Além disso, algumas vezes países acabam por usar suas forças militares de forma contrária ao lema de “manter a paz e a ordem”, buscando expandir territórios, forças novos mercados ou mesmo explorar recursos alheios.

Agora, uma coisa nisso tudo é certa: é (infelizmente) nos momentos de crise que o ser humano possui suas melhores idéias.

O computador, por exemplo, teve seu real surgimento graças à preocupação em criar um dispositivo capaz de ajudar nos cálculos balísticos a fim de que um míssil pudesse realmente atingir um alvo. Hoje, é por meio de um computador que eu posso chegar até você e fazê-lo ouvir (na verdade, ler) essas minhas palavras. É também por meio do computador que eu trabalho (como já citei, sou desenvolvedor de sistemas e professor) e garanto o ganha-pão de minha família (minha esposa e, em breve, o grande pequeno Dimitri :) ).

É inegável a quantidade de benefícios provida pelo uso do computador, mas não dá para esquecer que sua criação foi viabilizada como “arma”.

Da mesma forma, foi criada uma Arpanet, uma rede que interligasse todos os computadores das Forças Armadas a fim de que garantir a transmissão das informações e, em caso de guerra, o perfeito funcionamento da rede de computadores mesmo que um ou mais computadores fossem desativados (um possível ataque à sua localização).

Mais tarde a rede ganhou também fins acadêmicos e, por fim, tornou-se pública e seu nome foi mudado para Internet.

O sistema de localização global GPS também teve “o dedo deles” nessa história. Tal sistema pode ter diversas finalidades, uma delas é na orientação de veículos, por meio de um mapa e do posicionamento do veículo – você pode não saber aonde quer ir, mas seu carro saberá (claro, se você tiver dinheiro para adquirir um desses modelos!).

Durante a Guerra Fria, a corrida armamentista foi estendida até o espaço (literalmente), e diversos estudos foram desenvolvidos a fim de conseguir-se os melhores equipamentos, as melhores ferramentas e os melhores combustíveis que pudessem tornar as viagens espaciais uma realidade. Por falar nisso, diz-se que a caneta esferográfica foi criada nesse período. 😉

E com certeza os avanços não são somente estes! A lista é bem extensa e prossegue, tanto com instrumentos comuns do lar a conceitos como o de liderança.

E uma pergunta, cuja resposta todos nós já sabemos, mas que deveria ser base para uma reflexão individual sobre como podemos contribuir com melhorias sem que isso envolva aspectos negativos como as guerras: se não fosse pela necessidade de termos sempre as melhores armas e estarmos aptos aos combates, nós teríamos toda a tecnologia desenvolvida hoje?

Share and Enjoy

  • Facebook
  • Twitter
  • Delicious
  • LinkedIn
  • StumbleUpon
  • Add to favorites
  • Email
  • RSS

Quer receber dicas sobre como ganhar dinheiro em seu e-mail e "de quebra" baixar o e-book "Manual do Investidor"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Email
Print