Quem está cuidando dos nossos animais?

É incrível como nos achamos tão “humanos”, tão “racionais”, mas nos descuidamos quanto aos outros “vizinhos de planeta”. O mundo é muito grande, é vero, mas já o tornamos pequeno demais para que todos possam viver harmoniosamente. Desmatamentos, queimadas, caça predatória, criação clandestina de animais silvestres, caça ilegal e tantas outras coisas que é melhor nem comentarmos!

Quando crianças, pensamos que podemos “salvar o mundo”. Quando jovens, nós queremos “mudar o mundo”. Crescemos, continuamos a ver as mesmas atrocidades acontecendo dia e noite e… quem mais está se importando com o que acontece? “Se não é comigo, não há problemas, deixa acontecer, não vai mudar a minha vida mesmo!” é o que muitas vezes pensamos. O que esquecemos é que estamos falando de um mundo gigante e que todos fazemos parte de um ecossistema e que, se em alguma parte ele for afetado, todos sofrem as conseqüências.

Fauna e flora brasileira já foram muito castigadas por nossas mãos. Belíssimas aves e demais espécimes que outrora povoavam diversas regiões, principalmente as áreas florestais, hoje estão extintas em ou em extinção. Mas por que falarmos somente de Brasil quando este é um problema a nível mundial?

Comentamos muito sobre tais crimes no Brasil como se somente aqui acontecessem, mas muitos desses crimes também acontecem em vários outros países e, para piorar, geralmente tais atrocidades são financiadas por países economicamente desenvolvidos, ou “economicamente estáveis”, como poderíamos chamá-los, antes de toda essa crise na economia americana que levou a um desequilíbrio na economia de outros países. Bem, mas enfim, hoje não vamos falar de economia ou finanças, mas sim de meio ambiente.

E o meio ambiente já está bastante “abatido”, “fraco”. Tão incapacitado ele está, que poderíamos chamá-lo de “um quarto” ou talvez “um quinto” do ambiente. Desculpe-me o trocadilho sem graça, mas é a mais pura verdade.

E não adianta discutirmos tanto e não pensarmos em soluções, não é? Então, como nós podemos reverter esse quadro?

Bem, Giga Mundo “caiu em campo” e traz a você algumas das alternativas para reverter esse quadro. Sabemos que uma pessoa sozinha não pode implantar todas elas, mas cada qual fazendo um pouco da sua parte… quem sabe? 😉

Denuncie!

Há muitas outras coisas que podemos fazer e que surtirão melhor efeito a longo prazo, mas a situação está tão caótica que não basta só “pensar no amanhã”, temos que “agir hoje”, então a melhor alternativa é esta: denuncie qualquer tipo de abuso, exploração ou atrocidade contra animais!

Se cada qual denunciar o que vê acontecendo errado, quem sabe não conseguimos reduzir os atuais números? Muitos podem dizer: não adianta, isso é só enrolação. Bem, a nossa parte é denunciar, a deles é cuidar para que cada reclamação seja acurada e alguma medida seja tomada. Façamos a nossa e esperemos que quem cuida das denúncias também faça a dele, não?

Lembre-se que aquilo que é feito a algum animal poderia estar sendo feito a você. Gostaria de ser amarrado, ferido, enjaulado, exportado, maltratado, castrado e submetido a tantas outras coisas contra a sua vontade? Não? Então por que ser cúmplice de quem o faz?

Denuncie quem cria animais silvestres, quem trafica animais e quem lucra com esse tráfico. Lembrando que você deve buscar fazer a denúncia de forma anônima (muitos dos serviços de atendimento de denúncia garantem o sigilo, mas é bom certificar-se, para não ter problemas mais tarde, ok? ).

Novas formas de renda à população envolvida

Dependendo de onde é vendido, um filhote de papagaio pode custar de R$ 50,00 a R$ 150,00. Sabe quanto a pessoa que captura os filhotes ou ovos (que geralmente são pessoas de comunidade pobre próximas aonde vivem essas aves) ganham? Não mais que R$ 2,00 ou R$ 3,00 por cada um desses animais.

Por que são “tão caros” (entre aspas, pois a vida não tem preço)? A cada doze aves, nove delas morrem durante o transporte devido aos maus-tratos, drogas injetadas (os traficantes drogam as aves para que elas “mantenham-se calmas” durante o transporte) ou outras intempéries. Das três sobreviventes, poucas são as chances delas se adaptarem ao novo “estilo de vida”.

Mas enfim, aquelas pessoas “lá na ponta”, que cuidam da captura do animal, somente o fazem por não ter outra opção de renda. Se conseguíssemos mais oportunidades para tais pessoas, provavelmente teríamos reduções nesses números.

Então, se você possui uma ONG ou mesmo uma empresa e quer promover algum tipo de atividade que possa envolver tais comunidades e garantir-lhes um meio de vida mais digno, sinta-se à vontade, o planeta agradece! 🙂

Educação é Conscientização

Educar é sempre a melhor forma de preparar um futuro melhor, quero dizer, se nossas crianças e adolescentes aprenderem REALMENTE quão importante é proteger nossa fauna e flora e o papel de cada ser vivo nela, teremos mais pessoas “do nosso lado” nesta guerra em prol dos animais.

Uma coisa que aprendi é que nós somente temos ou ignoramos o que desconhecemos. A partir do momento em que temos a exata noção do que e por que está acontecendo, devemos tomar uma postura e agir – não dá mais para manter-nos “neutros”, indiferentes.

E o melhor de tudo é que este trabalho pode ser desempenhado por qualquer um, em qualquer idade. Em sua casa, na escola, no local de trabalho ou até mesmo na Internet conversando com amigos, qualquer lugar e hora são ótimos para falar a respeito da necessidade de proteger a vida de todos os seres vivos.

E… onde obter mais informações?

Esta é uma excelente pergunta e merece uma excelente resposta para que nosso trabalho não seja interrompido justamente por falta de mais informações. Não sei se sou capaz de oferecer uma excelente resposta, mas vou deixar aqui aquela de que disponho.

Há muitos livros, organizações e sites em que você pode aprender mais. O IBAMA, por exemplo, é um excelente ponto de partida, uma vez que ele é responsável pela proteção de toda a fauna e flora brasileira. Procure informar-se sobre a sede mais próxima de sua residência (se houver em sua cidade) e dê um pulinho lá. Eles vão adorar conversar com você, principalmente se você estiver indo com o interesse de divulgar mais sobre o assunto em sua escola. 🙂

Se quiser procurar na Internet, alguns sites que podemos sugerir são:

Guia de defesa dos animais

Sentiens – Defesa animal

Bem, sei que o artigo que lhes apresento hoje não irá mudar o mundo. Mas quem sabe, se cada qual mudar um pouco sobre como pensa e praticar, não podemos fazer isso? 😉

Além do mais, antes morrer tentando a viver desistindo!

Quer receber dicas sobre como ganhar dinheiro em seu e-mail e "de quebra" baixar o e-book "Manual do Investidor"?

E-mail:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *